Topo
E-mail redacao@noca.com.br
Faça do NOCA sua home Página inicial
Data Segunda-feira, 10 de dezembro de 2018
Anuncie Anuncie
       
Topo
Mural
BOM DIA! LÉA, quero ouvir a musica Miragem no Deserto com a Banda Noda de Cajú. Abraç...
FLAVIO VILANOVA ''O ADVOGADO", BRASILIA - DF
Boa noite! MEREÇO GANHAR PORQUE SOU FÃ DO PORTAL NOCA E DESSA DUPLA !ALEM DISSO, ACOMPANHO...
LIDINEIA DOS SANTOS ALMEIDA PINHO, Caxias ma - MA
+ mais mensagens
 
Faça sua Busca!

Notícias Colunas
Edson Vidigal

Não bateu asas, mas voou

Aumentar Fonte   Diminuir Fonte
 
07/12/2018 14:17h

A cabeça que chamam de cauda está na altura de um prédio de seis andares. Não há um bicho no mundo com setenta e três metros de comprimento. Tudo nele é enorme - sessenta e oito metros em cada asa. Pode gerar energia para consumo equivalente a quatrocentos e oitenta mil aparelhos de TV de trinta e duas polegadas.

Voa a novecentos e vinte quilômetros horários o que equivale, para se ter uma ideia, a atravessar três campos de futebol tipo Mané Garrincha emparelhados por segundo.

Somos trezentos e oitenta e seis passageiros que embarcam nesse monstrengo em Frankfurt, Alemanha, querendo chegar sãos e salvos, o quanto antes, em Guarulhos, São Paulo, Brasil. Olha só a pirâmide social - na primeira classe, apenas oito pessoas, no máximo.

Oitenta na executiva e o restante na econômica. Lógico que estamos, Eurídice e eu, nessa categoria que comparada com o melhor e mais caro dos voos domésticos do Brasil, como diria o grande Ary Barroso, é luxo só.

Então, estamos nós aqui, uma telinha de TV à frente, pouco espaço para esticar as pernas, mas uma mordomia de fazer inveja aos donos e amigos dos Leões do Palácio nos tempos em que o Damasceno ditava os destinos dos Chivas e Champagnes em cada dezembro no Natal.

Mais de cem filmes estão em oferta até em português tudo de modo a fazer com que o tempo passe rápido. Prefiro a câmera no percurso lá fora. Depois da Alemanha, Luxemburgo, França, Espanha, uma beirada de Portugal, Cabo Verde, mais Atlântico, litoral nordeste do Brasil até que cortando em linha reta, enfim, Guarulhos, São Paulo, Brasil.

Ao todo, doze horas de viagem.

Agora preciso despertar em mim a cidadania. São inúmeros os obstáculos que vou encontrando - desde o carrinho-bagageiro com defeito nas rodas que só rumam para a direita e eu sei para onde quero ir ao sanitário ainda fechado aos necessitados às nove horas da manhã.

Respirar fundo e encarar o que ainda me resta pela frente. Ufa, isso aqui, afinal, agora é só um pouquinho de Brasil, este País que canta e e' feliz, feliz...

| Versão para Impressão | Enviar por e-mail |
Últimas Notícias Colunas Anteriores
07/12 - Não bateu asas, mas voou
24/11 - O leão no seu quadrado
04/10 - A Rússia deve um mandato a Gorbachev?
28/09 - Condecorações à Venda
20/09 - Levando Uisque
13/09 - O Rolls-Royce de Lênin
31/08 - E línguas como que de fogo
25/08 - A águia bicéfala
17/08 - A Igreja Inarredável
10/08 - Já Era Vermelha
*As informações, notícias e opiniões expressadas neste espaço são de inteira responsabilidade do colunista.
Rádio Online
TV Online

Tv Ofértas Seu canal de compras (play Boy)
Publicidade
Resolução Mínima de 800x600 © Copyright 2007, Noca.com.br
Desenvolvido por Mundi Brasil