Topo
E-mail redacao@noca.com.br
Faça do NOCA sua home Página inicial
Data Sábado, 18 de novembro de 2017
Anuncie Anuncie
       
Topo
Mural
gostaria de mandar um abraço para minha irmã Ana Lucia, que mora no bairro castelo branco....
Maria Reis Sousa, Salvador - BA
BOM DIA LEA.Quero ouvir a musica TU LEVASTE MINHA VIDA com o Cantor TONY CARREIRO. Abraços FLAV...
FLAVIO VILANOVA O ADVOGADO, BRASILIA - DF
+ mais mensagens
 
Faça sua Busca!

Notícias Colunas
Recanto do Poeta

Uma crônica à desistência

Aumentar Fonte   Diminuir Fonte
 
30/10/2017 16:33h

Atendendo a um chamado dela, e, ao conhecê-la, abraçá-la, beijá-la; criei um amor impossível dela em mim. Amor; um sentimento dos mais belos que regem a vida humana e pensei ser, absolutamente, comum que todas as pessoas amassem umas às outras. No entanto, nem sempre o amor humano causa alegrias e momentos perfeitos. Em mim, devido a algumas situações circunstanciais, que não puderam ser vivenciadas durante um romance tentado/sonhado sem começo, meio e fim, o amor causou, principalmente, no meu coração apaixonado, grandiosos ferimentos, que, talvez, nunca serão cicatrizados.

Estas feridas me fizeram desistir desse (só) meu amor. Pois, considero um amor impossível e, por isso, opto pela desistência. Realmente, desistir pode não ser a saída, mas é a chance e a alternativa que encontrei para me refugiar desse meu sentimento, e, assim, quem sabe "esquecer" esse amor.

Desistir de um amor impossível pode ser um obstáculo muito difícil, e complicado para mim, pois é um amor advindo da minha própria obra na criação literária e que criou, literalmente, e, ainda, literariamente uma personagem e me quis afixá-la nela: quantos poemas escritos, antes, durante e depois de conhecê-la, com um cunho encantador, apesar do fato de nem ter dado certo.

Na realidade, um amor impossível como relacionamento difícil de ser concretizado ou vivenciado. No entanto, acredito que amores impossíveis são, sim, possíveis, e para torná-lo possível eu lutei e fui vencido sem, que, eu tivesse sido capaz de fazer deste amor uma realidade.

Portanto, desistir de um amor impossível é uma opção que encontro, sobretudo, por respeitar, imensuravelmente, a quem eu o quis entregá-lo. Porém, essa desistência também pode ser a chance de mudar o rumo e, vez em quando, sonhá-lo como um amor possível.

Por isso, desistir de um amor impossível pode ao mesmo tempo ser bom e ruim. Então, aconselho todas as pessoas que optarem pelo desistir: não se arrependam. E para aquelas que estão desistindo, pois querem encontrar realmente um amor que se concretize: boa sorte. O que não pode ser deixado de lado é a tentativa de buscar esse amor, ou seja, um amor que lhe faça bem e que não cause sofrimentos nem feridas profundas. Eu, mesmo sofrido e ferido, vou, apenas, sonhar com aquele amor ao qual desisto em repeito pelo sentimento que habita na vida humana dela e que nunca poderá ser meu!

| Versão para Impressão | Enviar por e-mail |
Últimas Notícias Colunas Anteriores
30/10 - Uma crônica à desistência
23/10 - Personagens
16/10 - Veneza
09/10 - Oceanos não Pacíficos
02/10 - Poemas
25/09 - Déo Silva, o poeta de vanguarda
19/09 - 11ª Feira do Livro de São Luís na Maria Aragão
11/09 - Arte e violência
04/09 - O ser e a poesia advindos de mim
28/08 - A Poesia e o Poeta
*As informações, notícias e opiniões expressadas neste espaço são de inteira responsabilidade do colunista.
Rádio Online
TV Online

Tv Ofértas Seu canal de compras (play Boy)
Publicidade
Resolução Mínima de 800x600 © Copyright 2007, Noca.com.br
Desenvolvido por Mundi Brasil