Topo
E-mail redacao@noca.com.br
Faça do NOCA sua home Página inicial
Data Sexta-feira, 18 de janeiro de 2019
Anuncie Anuncie
       
Topo
Mural
BOM DIA! LÉA, quero ouvir a musica Miragem no Deserto com a Banda Noda de Cajú. Abraç...
FLAVIO VILANOVA ''O ADVOGADO", BRASILIA - DF
Boa noite! MEREÇO GANHAR PORQUE SOU FÃ DO PORTAL NOCA E DESSA DUPLA !ALEM DISSO, ACOMPANHO...
LIDINEIA DOS SANTOS ALMEIDA PINHO, Caxias ma - MA
+ mais mensagens
 
Faça sua Busca!

Notícias Colunas
Jotônio Vianna

Parece pouco?

Aumentar Fonte   Diminuir Fonte
 
30/04/2014 12:00h

A frase do presidenciável Eduardo Campos (PSB) que mais repercutiu no estado do Maranhão e no país, durante sua passagem por Timon no finalde semana, foi a que ele disse que, se eleito, irá mandar o senador José Sarney (PMDB-AP) para o campo da oposição.

A afirmação de Campos faz todo sentido porque Sarney, ao longo de mais de cinco décadas, foi sempre um autêntico camaleão, dada a sua habilidade política em mudar de cor segundo a conveniência partidária. Mais que isso, Sarney tem uma irresistível atração pelos que ocupam o poder em Brasília, seja militar ou civil. Ao velho patriarca da oligarquia estadual, que vá às favas o conceito de quem ocupa o Palácio do Planalto, desde que ele esteja por perto em Brasília influindo nas decisões nacionais e, principalmente, no que toca respeito ao estado do Maranhão. Quando EC disse que se eleito irá botar o chefe do clã maranhense de escanteio, ele o fez para dar um recado ao eleitor regional de que numa eventual gestão sua à frente da presidência da República Sarney não porá nem gosto nem colher na sua administração.

Parece pouco?. Não, não é, pois Eduardo Campos deve ter dados estatísticos suficientes para acreditar que essa simples afirmação pode fazer toda a diferença para o povo maranhense que há mais de 50 anos acostumou-se a ouvir o nome do chefão oligárquico como se fora uma espécie de mantra nas bocas de outros chefetes do interior do estado que ajudaram e contribuíram para o clã Sarney garrotear o eleitor regional por tantas décadas.

Análise

Veja-se que Campos não agrediu o senador José Sarney nem se alongou numa cansativa análise sobre o papel decisivo do velho patriarca na situação extremamente negativa do Maranhão em relação a outros estados da nação.

Importante

.O presidenciável pernambucano foi apenas sucinto no que seria para ele a coisa mais importante para o eleitor maranhense: o distanciamento obrigatório de Sarney da máquina pública federal, como forma de impedir que o mesmo pudesse exercer qualquer tipo de influência em Brasília. Só isso.

Antônimo

.O curioso na 'singela' afirmação de Campos, além disso, é o antônimo do que ele propôs ao povo maranhense já exaustivamente expressado na boca do governo petista instalado na República: se reeleita, Dilma (ou Lula, tanto faz) dará mais energias para o clã Sarney se manter como uma pedra inarredável no caminho do Maranhão.

Estatísticas

Os milhares de cidadãos que se dispuseram a prestigiar a visita de Eduardo Campos a Timon engordaram as estatísticas que apontam a guinada eleitoral no rumo das oposições estaduais.

Olhos

.Além do grupo anfitrião, os Leitoa, e os demais parceiros unidos a Flávio Dino (PCdoB) na empreitada antissarney, uma multidão como aquela faz brilhar até os olhos dos mais politicamente reticentes.

Polêmica

Prossegue a polêmica sobre o que postou o oncologista GlautoTuquarre a respeito das equipes médicas do Hospital Geral de Caxias nas redes sociais.

Recado

.No entanto, parece que ninguém entendeu o explícito recado do médico sobre as incompatibilidades profissionais que reinam na categoria, o que só aumenta a confusão nos bastidores do maior hospital da cidade.

Recado II

.O recado de GT é para os próprios colegas de profissão, que, segundo ele, estariam monopolizando não só a forma de atendimento aos pacientes no Hospital Geral como também quem deve ganhar mais ou menos dinheiro na prestação do serviço público.

Marajás

.Tuquarre classifica esses colegas como uma espécie de 'marajás' da área médica em Caxias, diz que os mesmos ganham salários acima dos demais e que, apesar disso, ainda estariam se articulando para formar uma cooperativa que permitiria a exploração da mão de obra dos demais confrades.

Referência clara

.O denunciante é claro ao apontar cinco antigos médicos locais como os que comandariam o esquema e, ainda, que só um deles seria filho da terra e mesmo assim não estaria na cidade, mas supostamente recebendo sem trabalhar.

Enfermeiros

.Tuquarre ainda senta a pua em alguns enfermeiros que também se omitiriam em relação ao que acontece no HGC e/ou seguiriam a mesma trilha dos médicos que também acusa.

GONZO

Só. - Só faltava mais essa para embaralhar de vez a questão saúde na Princesa do Sertão. O Ministério Público, então, já deve ter em mãos as 'confidências' inconfidentes do oncologista nas redes sociais!!!

Sem defeito - Olha só esta frase de Lula, enviada por uma leitora-colaboradora: "Quando a gente é governo, se a gente não tomar cuidado, a gente passa a ouvir um tipo de gente que parece que o mundo não tem defeito. De vez em quando é importante sair na rua para saber o que as pessoas estão pensando. Às vezes a gente chega num lugar e as pessoas estão é xingando a gente e a gente pensa que é porque são da oposicão. Não, às vezes aquelas pessoas até votaram na gente"!!!

| Versão para Impressão | Enviar por e-mail |
Últimas Notícias Colunas Anteriores
29/05 - Posição estratégica
22/05 - Falta de foco
17/05 - Estupefação em Caxias
10/05 - Voto camarão?
09/05 - Coisa amarrada
08/05 - Velhos ardis
04/05 - O poder que se esvai
03/05 - Efeito união
30/04 - Parece pouco?
27/04 - Do zero
*As informações, notícias e opiniões expressadas neste espaço são de inteira responsabilidade do colunista.
Rádio Online
TV Online

Tv Ofértas Seu canal de compras (play Boy)
Publicidade
Resolução Mínima de 800x600 © Copyright 2007, Noca.com.br
Desenvolvido por Mundi Brasil