Topo
E-mail redacao@noca.com.br
Faça do NOCA sua home Página inicial
Data Sexta-feira, 18 de janeiro de 2019
Anuncie Anuncie
       
Topo
Mural
BOM DIA! LÉA, quero ouvir a musica Miragem no Deserto com a Banda Noda de Cajú. Abraç...
FLAVIO VILANOVA ''O ADVOGADO", BRASILIA - DF
Boa noite! MEREÇO GANHAR PORQUE SOU FÃ DO PORTAL NOCA E DESSA DUPLA !ALEM DISSO, ACOMPANHO...
LIDINEIA DOS SANTOS ALMEIDA PINHO, Caxias ma - MA
+ mais mensagens
 
Faça sua Busca!

Notícias Colunas
Jotônio Vianna

Velhos ardis

Aumentar Fonte   Diminuir Fonte
 
08/05/2014 12:00h

Pesquisas toscas, tortas ou intencionalmente adulteradas para favorecer candidatos são, entre outros ardis, instrumentos usados na inescrupulosa guerra pelo poder. Mas, cientificamente comprovado, pesquisas influenciam o eleitorado, sim, por isso a atenção especial do Tribunal Superior Eleitoral para com elas durante a temporada de campanha.

Os estratagemas adotados para enganar e/ou ludibriar a boa fé dos eleitores podem influenciar e até mudar o resultado de um pleito que à primeira vista indicava o favoritismo de um candidato. Argumentos nada republicanos e práticas nocivas à disputa democrática, historicamente, têm-se mostrado eficazes no aniquilamento de candidatos que se identificam com os desejos de mudança dos cidadãos. O Maranhão é prova disso. Logo, cuidado é preciso. O caso da pesquisa Data Mérita, agora considerada irregular pelo Tribunal Superior Eleitoral, é um exemplo até chinfrim ante outros anteriores mais elaborados e mais difíceis de serem percebidos à primeira vista.

Decerto que no passado, na antiga Princesa do Sertão, eram comuns os esbulhos na avaliação de preferência popular. Alguns tão grosseiros que só acreditavam neles os que tinham interesse direto na questão ou os que eram mesmo ingênuos incuráveis e se deixavam influenciar. Vá lá, os tempos eram outros. Apesar disso, hoje, não obstante a vasta fonte de informações disponível a qualquer cidadão, ainda há os velhos 'espertos' que acreditam ser possível continuar enganando meio mundo de gente a partir de um 'laboratório' instalado em Caxias.

Aloprados

De qualquer forma, as oposições estaduais estão com sorte de contar com adversários tão atrapalhados na região. Ou aloprados, para usar um termo petista.

Trapalhadas

.Pois se se tomar como parâmetro o universo caxiense, faz mais de uma década que os sarneyzistas locais não acertam uma bola na caçapa exatamente por conta de suas trapalhadas no período eleitoral.

Diluição

.As quais, no geral, são tão fáceis de detectar pelo eleitorado que até o que poderia ser verdadeiro de ruim para os governistas locais acaba se diluindo em meio às mentiras exageradas dos adversários.

Desgastadas

Duas das pastas com maior desgaste no governo Léo Coutinho (PSB) se encontram sob o controle da família Martins: a de Limpeza e a de Transportes.

Populista

.Credita-se ao estilo populista de administrar dos irmãos secretários de Limpeza, Edilson Martins, e Júnior Martins, de Transportes, um grande percentual pelo desgaste de suas pastas.

Leniência

.Vide os casos da leniência com quem joga lixo e entulho nas vias públicas e o da proliferação escancarada de mototaxistas e taxistas piratas na cidade.

Proselitismo

.Nos dois serviços, hoje, a coisa avacalhou por conta da mistura entre o que é administrar de fato e o que é fazer proselitismo político-partidário.

Descabido

.Esse estilo populista que já deu certo no passado, agora, porém, é descabido. Afora que não há garantia de que os sujismudos e os taxistas e mototaxistas irregulares irão votar no grupo Martins no período eleitoral que se aproxima.

Código

.Ainda na época do ex-prefeito Aluízio Lôbo (no século passado), o próprio gestor fazia questão de ir desancar e multar pessoalmente quem transgredia o código diretor da cidade.

Tira voto

.Com o velho 'Tenente', taxistas nas praças só os credenciados. No quesito limpeza, o retrocesso administrativo hoje é visível com a sujeira espalhada nas vias públicas. Agora, isso, sim, tira voto.

Marca

A propósito, essa coisa de não ferir a suscetibilidade de quaisquer eleitores, sejam esses cidadãos exemplares ou não, se tornou uma marca registrada na era Coutinho. No caso das elites, então, nem pensar em contrariá-las.

Obrigações

.O que acabou por imprimir no município uma cultura reversa às obrigações sociais inerentes a todos que formam a comunidade.

Impunidade

.Por isso não é incomum se flagrar até ditas pessoas esclarecidas cometendo infrações corriqueiras e cotidianas. A falta de punição às transgressões resultou na sensação de que cada um pode fazer o que bem quiser e o que bem lhe der na telha, pois a ideia de impunidade já se espalhou.

GONZO

 Próteses - Que parlamentar regional estaria agora 'fabricando' próteses de pernas e braços???!!!. Rapaz, é cada uma no leste maranhense!!!

Alô - Um alô da Coluna para a clientela assídua da Barbearia do Rafael, no bairro Cohab. O proprietário e a freguesia ali leem há mais de 12 anos o Jornal Pequeno!!!

| Versão para Impressão | Enviar por e-mail |
Últimas Notícias Colunas Anteriores
29/05 - Posição estratégica
22/05 - Falta de foco
17/05 - Estupefação em Caxias
10/05 - Voto camarão?
09/05 - Coisa amarrada
08/05 - Velhos ardis
04/05 - O poder que se esvai
03/05 - Efeito união
30/04 - Parece pouco?
27/04 - Do zero
*As informações, notícias e opiniões expressadas neste espaço são de inteira responsabilidade do colunista.
Rádio Online
TV Online

Tv Ofértas Seu canal de compras (play Boy)
Publicidade
Resolução Mínima de 800x600 © Copyright 2007, Noca.com.br
Desenvolvido por Mundi Brasil