NOCA - O portal da credibilidade!


06/12/2018 16:19h

Associação de Proteção Animal de Caxias se manifesta sobre cachorro morto no Carrefour

A Associação de Proteção Animal de Caxias (Adepac) se manifestou sobre o caso envolvendo o grupo Carrefour que resultou com a imagem de um cachorro morto nas dependências de uma unidade da rede na cidade de Osasco, na Grande São Paulo.

Denúncias apontam que o animal morreu após ser espancado por um segurança. O caso gerou revolta entre protetores de animais e várias manifestações ocorrem pelo Brasil. Ao Portal Noca, a coordenadora da Adepac, Lívia Maria, apresentou o seu posicionamento:

"Eu nem tenho palavras para expressar o que aconteceu com o cachorrinho do Carrefour. Foi um crime muito bárbaro que aconteceu com ele. Esse segurança é uma pessoa sem Deus no coração; como teve coragem de fazer o que fez? E as pessoas que ali estavam, viram e não tomaram nenhuma atitude para que ele não fizesse esse ato.

Estou com o coração despedaçado com tanta brutalidade e a cada dia mais deixo de acreditar que o ser humano possa ser melhor. Esse foi mais um dos vários casos que acontecem diariamente e que não sabemos. Os animais não merecem tudo isso, o abandono das pessoas, maus tratos.

Espero que diante de tanta mobilização das pessoas a respeito do caso, que ele veja o que fez e que, se puder, consiga ter paz. E que a lei seja mas rigorosa em favor dos animais."

A Adepac está engajada na divulgação de um abaixo-assinado que solicita que o Senado coloque em pauta a PL 2833/2011, onde tramita como PLC 39/2015, que aumenta as penas para crimes de maus-tratos e abandono de animais. "Ela já foi votada, foi vigorada, mas não tem as políticas públicas. Temos que forçar os senadores a votar e fazer com que vire lei de fato", diz Afonso d Paula, autor da petição.