Topo
E-mail redacao@noca.com.br
Faça do NOCA sua home Página inicial
Data Sábado, 20 de outubro de 2018
Anuncie Anuncie
       
Topo
Mural
Fiquei muito orgulhoso por meu tio irmão de minha mãe ser agraciado por essa reportagem da...
Danilson Reis, Caxias - MA
BOA TARDE Nice Coelho, quero ouví a musica Miragem no Deserto com a Banda Noda de Cajú. Ab...
FLAVIO VILANOVA O ADVOGADO, BRASILIA - DF
+ mais mensagens
 
Faça sua Busca!

Notícias Colunas
Política

STJ nega recurso para que Lula seja solto e possa disputar eleição

Aumentar Fonte   Diminuir Fonte
 
13/06/2018 09:38h


Foto: Aloisio Mauricio/Fotoarena / Agência O Globo

O ministro Félix Fischer, relator dos casos da Operação Lava Jato no Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou o pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para conceder efeito suspensivo ao recurso que o petista apresentou ao STJ. Se tivesse aceito as argumentações de Lula, Fischer suspenderia todos os efeitos da pena, o que incluiria libertar o ex-presidente da prisão e torná-lo elegível para as eleições de 2018.

Na avaliação do ministro, como o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) ainda não decidiu se vai ou não remeter o recurso especial do ex-presidente ao STJ, seria "uma verdadeira antecipação do julgamento" autorizar o efeito suspensivo nessa altura do processo.

Na petição ao ministro, a defesa alegou que a pressa se justificava pelo fato de Lula ser pré-candidato à Presidência da República pelo PT e precisar da suspensão da pena para participar do processo eleitoral. De acordo com seus advogados, o ex-presidente "corre sérios riscos" de ter "seus direitos políticos cerceados" se ficar de fora da eleição.

O chamado "efeito suspensivo" é um mecanismo possível em recursos apresentados ao STJ e ao Supremo Tribunal Federal (STF) por meio dos quais os ministros podem identificar, de antemão, a existência de contestações grandes na condenação, que justifiquem o não cumprimento de nenhuma pena até uma decisão definitiva. Em um mal sinal para novos pleitos do ex-presidente nesse sentido, o ministro Félix Fischer já adiantou considerar que esse tipo de decisão é a exceção, não a regra.

A defesa do ex-presidente Lula ainda pode tentar outros caminhos para a aprovação desse pedido. Primeiro recorrendo desta decisão de Fischer à Quinta Turma do tribunal e, posteriormente, reiniciar todo o processo se - e quando - o TRF4 admitir que seu caso é passível de ser analisado pelos ministros do STJ.

Fonte: Veja

| Versão para Impressão | Enviar por e-mail |
Últimas Notícias Últimas Notícias Listar Todas
19/10 - PM detém dupla com arma de fogo e moto roubada no bairro Salobro
19/10 - 1º Aviva Caxias acontece neste sábado (20)
19/10 - Homem de 69 anos está desaparecido e família pede ajuda em Caxias
19/10 - Cigarros contrabandeados são apreendidos no bairro Caldeirões
19/10 - Brasil foi o país que mais perdeu milionários, diz Credit Suisse
19/10 - Pit bull é morto com quatro tiros após atacar outro cão
19/10 - Mulher é condenada a 13 anos por matar homem que insistiu em beijá-la
19/10 - Datafolha: Bolsonaro tem 59% dos votos válidos; Haddad tem 41%
18/10 - Bandidos roubam loja com farda da Cemar no bairro Cohab
18/10 - Homem morre após ser atropelado por carro em Caxias
Rádio Online
TV Online

Tv Ofértas Seu canal de compras (play Boy)
Publicidade
Resolução Mínima de 800x600 © Copyright 2007, Noca.com.br
Desenvolvido por Mundi Brasil